Apresentação | Conselho Consultivo do Centro Nacional de Competências para Inovação Social

Out 20, 2021 | Notícias

Decorre amanhã, 21 de outubro, na Fundação Calouste Gulbenkian, a Apresentação e a 1ª reunião do Conselho Consultivo para a conceção do Centro Nacional de Competências para a Inovação Social.

 

Assumem a Presidência partilhada do Conselho Consultivo o Presidente da AD&C – Agência para o Desenvolvimento e Coesão, Nuno Santos e o Presidente da EMPIS – Estrutura de Missão Portugal Inovação Social, Filipe Almeida, o qual será coordenado pela Fundação Calouste Gulbenkian.

 

A criação de um Conselho Consultivo para a conceção do Centro Nacional de Competências para a Inovação Social, surge no âmbito da iniciativa da Comissão Europeia, via Direção-Geral Emprego, Assuntos Sociais e Inclusão, para promover a criação de Centros Nacionais de Competências para a Inovação Social em cada um dos Estados Membros (EM) até 2023.

 

Para o efeito, lançou em 2020, cofinanciado pelo Fundo Social Europeu (FSE+) e pelo EaSI –  Programa Europeu para o Emprego e a Inovação Social, um concurso para consórcios transnacionais com o objetivo de criarem, em parceria e com recursos especializados, estas estruturas nacionais destinadas a apoiar e dinamizar os ecossistemas de inovação social.

 

Em março de 2021 foram aprovados seis consórcios, incluindo 24 países da União Europeia e o Reino Unido.

 

Portugal está representado pela AD&C e pela EMPIS num desses consórcios, que inclui também a Irlanda, a Bulgária e o Chipre, designado de FUSEFacilitating United Approaches to Social innovations in Europe.

 

Prevê-se que o Conselho Consultivo reúna trimestralmente, sendo os seus membros convidados a acompanhar e a contribuir com a sua visão e experiência, de forma colaborativa, para o desenho da arquitetura e estratégia necessárias à criação formal deste Centro Nacional de Competências para a Inovação Social, enquadrado no âmbito do Quadro Financeiro Plurianual (QFP) 2021-2027 da União Europeia.

 

Esta é uma oportunidade única para potenciar a experiência, as infraestruturas e os recursos nacionais já existentes para apoio ao ecossistema de inovação social, que constitui um poderoso instrumento para a reconstrução social e económica pós-pandémica e uma das mais decisivas oportunidades de desenvolvimento social e económico do país.

 

Fonte: AD&C