TCE | A União Europeia tem de aumentar a reciclagem para concretizar as suas ambições

Out 6, 2020 | Notícias

Segundo um novo documento de análise do Tribunal de Contas Europeu (TCE), existe um risco significativo da União Europeia não cumprir os seus objetivos de reciclagem de embalagens de plástico para 2025 e 2030.

 

A atualização do quadro jurídico aplicável à reciclagem de plásticos, em 2018, espelha as ambições acrescidas da UE e poderá ajudar a aumentar a capacidade de reciclagem. No entanto, a dimensão do desafio que se coloca aos Estados-Membros não deve ser subestimada. As novas regras de comunicação de informações sobre a reciclagem, mais precisas, e o aumento do rigor da regulamentação aplicável à exportação de resíduos de plástico reduzirão a taxa de reciclagem comunicada pela UE. Por isso, segundo o TCE, é necessária uma ação concertada para levar a UE à situação em que pretende estar dentro de apenas 5 a 10 anos.

 

As embalagens, como os boiões de iogurte ou as garrafas de água, representam por si só cerca de 40% da utilização de plástico e mais de 60% dos resíduos de plástico produzidos na UE. Trata-se também do tipo de embalagens com a taxa de reciclagem mais baixa na UE (ligeiramente acima de 40%). Para enfrentar este crescente problema de resíduos, a Comissão Europeia adotou em 2018 a estratégia para os plásticos, que incluiu a atualização da Diretiva Embalagens e Resíduos de Embalagens, de 1994, e a duplicação do atual objetivo de reciclagem para 50% em 2025, visando mesmo os 55% em 2030.

 

A concretização destas metas seria um passo importante para alcançar os objetivos da UE em matéria de economia circular.

 

Fonte: TCE/MC