Inquérito Comunitário à Inovação

Out 6, 2020 | Notícias

A Direção-Geral de Estatísticas da Educação e Ciência (DGEEC) e o Instituto Nacional de Estatística (INE) divulgam informação sobre a inovação empresarial, com base nos dados recolhidos no Inquérito Comunitário à Inovação (CIS), com referência ao período 2016-2018.

 

O inquérito CIS, com frequência bienal, tem como objetivo a produção e atualização de indicadores estatísticos sobre a inovação nas empresas através de um inquérito harmonizado ao nível europeu, que permite a comparação internacional dos dados, bem como responder a compromissos nacionais e internacionais de recolha, tratamento e disseminação das estatísticas oficiais de Ciência e Tecnologia, nomeadamente os compromissos assumidos com o Eurostat para a produção de estatísticas sobre Inovação.

 

Em comparação com a edição do CIS2016, o questionário reflete alterações metodológicas e de conceito na sequência da revisão do Manual de Oslo, em que a grande mudança para a definição de inovação empresarial reside na redução da complexidade da definição anterior (baseada em quatro tipos de inovação – produto, processo, organizacional e marketing), para dois tipos principais: inovação de produto e inovação de processo.

 

E também reduz a ambiguidade do requisito para uma mudança significativa, comparando inovações novas e melhoradas aos produtos ou processos existentes na empresa:

 

•  Inovação de produto é um bem ou serviço novo ou melhorado que difere significativamente dos bens ou serviços anteriores da empresa e que foi implementado no mercado.

•  Inovação de processo é um processo de negócio novo ou melhorado para uma ou mais funções de negócio que difere significativamente dos processos anteriores da empresa e que foi implementado na empresa.

 

 

Em Destaque

 

Em Portugal, no período 2016-2018, 32,4% das empresas tiveram atividades de inovação, 23% introduziram inovação de produto (bens ou serviços), 28% introduziram inovação de processo e 31,4% introduziram inovação de produto e/ou processo.

 

7,5% das empresas tiveram atividades de I&D intramuros e 4% das empresas contrataram serviços de I&D a outras empresas ou organizações de investigação públicas ou privadas (I&D extramuros).

 

A maior parte das empresas com 250 ou mais pessoas ao serviço foram empresas inovadoras (61,5%), sendo que nos escalões de 50-249 e de 10-49 pessoas ao serviço, as percentagens de empresas com atividades de inovação foram 46,5% e 29,2%, respetivamente.

 

Por atividade económica, o setor com maior percentagem de empresas inovadoras foi o da Informação e comunicação (57,4%), seguindo-se os setores das Atividades financeiras e de seguros (45,4%), da Indústria (37,8%) e da Energia e água (37,2%).

 

As regiões com percentagens mais elevadas de empresas inovadoras foram o Centro (34,7%), a Área Metropolitana de Lisboa (34,4%) e a Região Autónoma da Madeira (33,5%).

 

Saiba mais aqui

 

Nesta edição houve alterações nas variáveis de observação, no método de recolha e no âmbito da população, com a inclusão da totalidade dos setores de atividade económica, pelo que a presente publicação não procede à análise comparativa dos resultados de versões anteriores deste inquérito.

 

A apresentação dos resultados dos inquéritos anteriores está disponível em INE| Dados Estatísticos | Base de dados e em DGEEC | Estatísticas > Ciência, Tecnologia e Inovação > Inovação (CIS)

 

Fonte: INE/MC