Estratégia 2030 para o Centro de Portugal

Jan 15, 2020 | Notícias

Já estão a ser debatidas as prioridades estratégicas para a Região Centro até 2030.

Até ao dia 27 de janeiro, pode contribuir para o desenvolvimento desta Estratégia.

 

A Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional do Centro (CCDRC) iniciou um exercício de reflexão e discussão para definir a Estratégia do Centro de Portugal até 2030, pretendendo que este seja um processo participado e enriquecido com os contributos de todos os agentes da região num exercício de inteligência coletiva.

 

A primeira versão da “Visão Estratégica para a Região Centro 2030”, recentemente apresentada numa sessão pública, em Coimbra, pode ser consultada aqui, onde está também disponível o formulário para o envio de contributos até ao final de janeiro.

 

A Visão que é proposta à discussão da Estratégia Regional 2021-2027 aponta cinco desígnios para a região:

 

1) Reforçar a competitividade nacional e internacional e consolidar um modelo de inovação territorial e socialmente inclusiva, pugnando para que as dinâmicas mais proeminentes de inovação se alarguem territorialmente, seja pela criação de novos focos de inovação em territórios menos densos e empreendedores, seja pela transferência de conhecimento enquanto veículo de atração de investimento e de jovens com qualificações superiores;

 

2) Trabalhar e promover a capacitação para a resiliência dos territórios mais vulneráveis e mais carenciados de energia demográfica, promovendo a coesão territorial, valorizando a criatividade de organização dos territórios e a capacidade de iniciativa local e as condições de atração de população (i)migrante;

 

3) Liderar a evolução para uma sociedade mais sustentável, promovendo a inovação e transição para a economia circular, integrando a emergência climática e as suas implicações em termos de sistemas produtivos e organização territorial, no quadro da diversidade ambiental que a caracteriza;

 

4) Colocar estrategicamente o seu sistema urbano ao serviço de um modelo territorial que evolua em combinação virtuosa entre territórios competitivos e inovadores e territórios mais deprimidos de energia demográfica e económica;

 

5) Organizar a oferta de qualificações e competências que a sua transformação estrutural exige, trabalhando nesse sentido a qualificação inicial de jovens e a formação de ativos e criando condições para a atração de população qualificada.

 

Imagem Centro de Portugal

 

Pela importância do aproveitamento dos Fundos Europeus Estruturais e de Investimento (FEEI) no período de 2021-2027 que se avizinha e pela necessidade de articulação das estratégias locais, sub-regionais, regionais e nacionais com a estratégia europeia, este exercício deve estar também alinhado com outras discussões: a revisitação da estratégia regional de especialização inteligente, a construção de um novo Programa Operacional Regional, as agendas temáticas regionais (como a da economia circular) e outros instrumentos de políticas públicas.

 

Fonte: Centro 2020/CCDRC/MC