Erasmus+: Cada vez mais inclusivo e internacional

Jan 31, 2019 | Notícias

A Comissão Europeia publicou recentemente o seu relatório anual sobre o programa Erasmus+, que mostra que mais do que nunca há mais pessoas a participar e que o número de projetos apoiados continua a aumentar. Simultaneamente, o programa está a tornar-se cada vez mais inclusivo e internacional.

 

Erasmus+ 2017: novo ano recorde

 

Em 2017, a União Europeia investiu um montante recorde de 2,6 mil milhões de euros no programa, o que representa um aumento de 13 % em relação a 2016, permitindo assim proporcionar aos jovens mais oportunidades do que nunca.

 

Os números mostram que o Erasmus+ está no bom caminho para cumprir o seu objetivo de apoiar 3,7% dos jovens da UE, entre 2014 e 2020. O relatório sublinha igualmente que o programa se está a tornar mais aberto a pessoas provenientes de meios desfavorecidos, bem como a organizações de menor dimensão.

 

O apoio ao programa nunca foi tão forte. Durante a campanha levada a cabo com êxito em 2017 para celebrar os 30 anos do Erasmus, mais de 750 000 pessoas participaram em 1 900 eventos, repartidos por 44 países, que destacaram o papel do Erasmus+ e dos seus predecessores para permitir aos jovens desenvolverem as suas competências e experimentar o que significa ser europeu.

 

Em 2017, o programa Erasmus+ concedeu apoio a um número recorde de quase 800 000 pessoas, para poderem estudar, receber formação ou fazer voluntariado no estrangeiro, o que representa um aumento de 10% em relação a 2016. Além disso, financiou a cooperação entre os estabelecimentos de ensino, as organizações de juventude e as empresas. No total, participaram 84 700 organizações em 22 400 projetos. O programa permitiu a mais de 400 000 estudantes do ensino superior, estagiários e pessoal educativo frequentar um período de aprendizagem, formação ou ensino no estrangeiro durante o ano académico de 2016/2017, incluindo cerca de 34 000 estudantes e pessoal educativo que beneficiaram das bolsas de países parceiros em todo o mundo para os poderem visitar. A França, a Alemanha e a Espanha foram os três países que mais pessoas enviaram e a Espanha, a Alemanha e o Reino Unido os três destinos mais populares.

 

O relatório anual mostra, uma vez mais, que o programa Erasmus+ não se destina apenas a estudantes e pessoal educativo universitários. Continuou também a proporcionar formação profissional aos alunos e ao pessoal educativo (160 000), aos jovens e aos animadores de juventude (158 000) e ao pessoal educativo da formação de adultos (6 400). Além disso, os projetos de cooperação também beneficiaram os professores e o pessoal educativo (47 000), e os alunos (110 000). Para além da Semana Europeia do Desporto, o programa financiou 162 projetos desportivos que envolveram 930 organizações, incluindo dez eventos desportivos sem fins lucrativos.

 

O Erasmus+ está também a tornar-se cada vez mais acessível a todos aqueles que dele mais têm a ganhar, oferecendo mais oportunidades e concedendo financiamento adicional aos participantes oriundos de meios socioeconómicos desfavorecidos. Em 2017, quase 21 000 estudantes desfavorecidos e pessoal educativo participaram em atividades de mobilidade Erasmus+ no ensino superior. Estes números elevam o total para mais de 67 500 participantes desfavorecidos do ensino superior desde 2014, incluindo cerca de 2 000 participantes com necessidades especiais.

 

O programa também evoluiu em 2017 para integrar as prioridades estratégicas da UE em matéria de competências digitais nas áreas da educação, formação e juventude, nomeadamente através de programas curriculares e metodologias de ensino inovadores. Por exemplo, a nova aplicação móvel Erasmus+ foi descarregada mais de 55 000 vezes desde o seu lançamento em meados de 2017 e mais de 380 000 pessoas beneficiaram de formação linguística em linha desde 2014, entre as quais cerca de 5 500 refugiados recém-chegados.

 

Imagem Erasmus + - Sabia que

 

Saiba mais, consultando as fichas informativas gerais sobre o Erasmus + e específicas por país, designadamente Portugal.

Fonte: CE