Breda venceu o Prémio Cidade Acessível 2019

Dez 5, 2018 | Notícias

O Prémio Cidade Acessível 2019 foi ontem atribuído à cidade de Breda, nos Países Baixos, por introduzir melhorias para facilitar a vida das pessoas com deficiência.

 

Breda é uma fonte de inspiração para as cidades europeias e de fora da Europa, que enfrentam desafios semelhantes.

 

Para assinalar o Ano Europeu do Património Cultural, foram também atribuídos prémios às cidades que realizaram esforços notáveis para tornar o seu património cultural acessível a todos.

 

Para a edição de 2019 do prémio Cidade Acessível, a Comissão Europeia recebeu 52 candidaturas. A cidade de Évreux, em França, e a de Gdynia, na Polónia, ficaram no segundo e terceiro lugar. Kaposvár, na Hungria, e Vigo, em Espanha, receberam uma menção especial.

 

Sobre o Prémio Cidade Acessível

 

O Prémio Cidade Acessível, organizado pela Comissão juntamente com o Fórum Europeu das Pessoas com Deficiência, é uma das ações previstas no âmbito da Estratégia da UE para a Deficiência 2010-2020, que pretende criar uma Europa sem obstáculos para as pessoas com deficiência.

 

É seu objetivo reconhecer as cidades que, em toda a Europa, são precursoras na remoção dos obstáculos à acessibilidade. O prémio é atribuído à cidade que tenha melhorado de forma clara e sustentável a acessibilidade no que respeita aos aspetos fundamentais da vida quotidiana nas cidades e que disponha de planos concretos para introduzir novas melhorias no futuro. O objetivo do prémio é inspirar outras cidades que possam enfrentar desafios semelhantes e promover as boas práticas em toda a Europa.

 

Tradicionalmente, o prémio dirige-se às cidades europeias com mais de 50 000 habitantes. As cidades devem demonstrar uma abordagem global da acessibilidade em quatro domínios principais: meio edificado e espaços públicos; transportes e infraestruturas conexas; informação e comunicação, incluindo as novas tecnologias (TIC); equipamentos e serviços públicos.

 

No ano passado, o concurso foi excecionalmente aberto a cidades com menos de 50 000 habitantes, que puderam concorrer ao prémio especial no âmbito do Ano Europeu do Património Cultural.

 

Os vencedores das edições anteriores são: 2018, Lyon (França); 2017, Chester (Reino Unido); 2016, Milão (Itália); 2015, Boras (Suécia); 2014, Gotemburgo (Suécia); 2013, Berlim (Alemanha); 2012, Salzburgo (Áustria); 2011, Ávila (Espanha).

 

Mais informações em https://ec.europa.eu/info/access-city-awards_pt

Fonte: CE